NOTÍCIAS

Hamilton de Holanda encerra a programação do 13º Mi nesse sábado, 29 de julho.

As sonoridades contemporâneas deram o tom do 13ºFestival Música da Ibiapaba ao longo de toda a semana. Entre shows e oficinas, que aconteceram em escolas, igrejas e praças de Viçosa do Ceará, o público fez questão de curtir e prestigiar o que a nossa cultura tem de melhor. E o último dia do Mi não poderia ser diferente. Para esse sábado, 29 de julho, o evento vai preparar uma programação especial, como forma de celebrar a multipluralidade de sons e ritmos do Ceará e de todo o Brasil.

Se na sexta-feira, 28 de julho, atrações como Daniel Ganjaman e convidados e os Mestres da Cultura, dentre eles Zé Pio, João Evangelista, Totonho e Cirilo, fizeram a alegria de moradores e turistas, o sábado promete não ficar para trás. Os shows acontecem a partir das 16h, no Palco Alberto Nepomuceno (Anfiteatro), com o Encontro de Bandas de Música de Ibiapaba. Às 18h é a vez da banca Casa de Velho, que sobe ao Palco Eleazar de Carvalho (Praça General Tibúrcio) para mostrar o espírito transformador, criativo e ousado do cenário atual da música independente no Ceará. Além disso, parte dos alunos que participaram das oficinas, que vão acontecer até o último dia do Festival, também terão a chance de mostrar seus talentos. No último dia do Mi, eles se apresentam às 19h, no Palco Alberto Nepomuceno, e às 20h, no Palco Eleazar de Carvalho.

Entre bandolins

E para encerar a o Festival Música da Ibiapaba este ano em grande estilo, o público terá a chance de conferir todo o talento e versatilidade do instrumentista Hamilton de Holanda. O show, que acontece a partir das 21h30, no Palco Alberto Nepomuceno, promete trazer a beleza e a espontaneamente, tão presentes no trabalho deste artista.

Filho de pernambucanos, Hamilton de Holanda conquistou admiração e respeito no mundo todo com o seu bandolim de 10 cordas, tanto que é considerado um dos instrumentistas mais virtuoso de todos os tempos. O choro é a sua primeira referência, mas a atmosfera sem raízes na Brasília onde cresceu o fez se apropriar das mais diferentes tradições culturais, com muito samba, frevo, bossa nova, entre outros. Se é jazz, samba, rock, pop, lundu ou choro, não importa mais. A música de Hamilton explora todas as possibilidades, assim como foi o 13º Mi.

Cultura em todos os sentidos

A programação de Gastronomia foi pensada para contar as histórias da Serra Grande por meio das tradições e riquezas culturais, em suas mais diferentes formas. Surgindo como uma atração à parte do já renomado Festival, o Mi Gastronomia e Produtos da Serra vai buscar nas várias cidades da região, como Ipu, Tianguá e Ubajara, representantes da gastronomia e do artesanato local, que refletem tão bem o modo de viver, de entender a terra e dela tirar a matéria prima para viver. Assim, o evento vai levar os saberes, os produtos e as tantas histórias de sua população que, tão gentilmente, costuma compartilhar com todos aqueles que visitam a região. São licores, peças em cerâmica, doces caseiros, cachaças, a famosa peta, bolos, cestos, mel, entre outros. No Mi Gastronomia e Produtos da Serra, tem um pouco de tudo de melhor na Serra Grande e como cenário de tantas delícias e de tanta riqueza cultural.