HAMILTON DE HOLANDA

21h30 – Sábado 29
Local: Anfiteatro Alberto Nepomuceno
 
Virtuoso, brilhante e único são alguns dos adjetivos na vida deste músico, que contagia plateias em turnês por todo o mundo, construindo uma carreira de inúmeros prêmios. Hamilton de Holanda, 41 anos, 36 anos de música, carrega na bagagem a fusão do incentivo familiar com o Bacharelado em Composição pela Universidade de Brasília e a prática das rodas de choro e samba. Essa identidade o permite transitar com tranquilidade pelas mais diferentes formações (solo, duo, quarteto, quinteto, orquestra), consolidando, assim, uma maneira de expor ideias musicais e impressões sobre a vida com “o coração na ponta dos dedos.”
Apelidado de “Jimmy Hendrix do bandolim” pela imprensa americana, Hamilton e suas 10 cordas, duas a mais que o normal, reinventa o bandolim liberta o emblemático instrumento brasileiro do legado de algumas de suas influências e gêneros, inspirando uma nova geração a se aproximar do Bandolim e conceber formações com uma nova instrumentação. Se é jazz, samba, rock, pop, lundu ou choro, não mais importa.
A busca de Hamilton não é pelo novo, e sim por uma música focada na beleza e na espontaneidade. Diante dele, existe um novo mundo cheio de possibilidades. Seu norte é “Moderno é Tradição”, e o importante não é passado, nem futuro, mas sim, a intercessão onde esses dois se confundem, a vida no momento presente, no “é”, no aqui e agora.