NOTÍCIAS

Mestres da Cultura são destaques da programação do 13º Festival Música da Ibiapaba

A programação do 13º Festival Música da Ibiapaba, o Mi, que acontece até o dia 29 de julho, em Viçosa do Ceará, também busca valorizar a música e a cultura local. Além dos shows de grupos da região de Ibiapaba, o evento realiza apresentações com alguns dos principais Mestres da Cultura do Estado, como forma de apresentar a riqueza dos sons, danças e ritmos que representam tão bem o Ceará.

De 25 a 27 de julho, às 18h, o Palco Eleazar de Carvalho (Praça General Tibúrcio) vai receber um Mestre da Cultura por dia, para mostrar ao público as principais manifestações artísticas do Cearpá. Apresentam-se, respectivamente, os mestres Zé Pio (Reisado), João Evangelista (Cordel) e Cirilo (Dança Popular). Já no dia 28 de julho, haverá um show com todos eles reunidos, com a participação mais do que especial de mestre Totonho (Luthier) e Orlângelo Leal, ator, músico, instrumentista e fundador do grupo Dona Zefinha, legítimo filho de Itapipoca e um dos maiores divulgadores da cultura popular cearense.

Além disso, até o final do Festival, todos esses mestres e artistas ministram a oficina “Instrumentos que brotam da alma”, que está na programação formativa deste ano. “Existe uma produção muito grande no interior do Ceará, compositores e instrumentistas que se encontram no Festival Música da Ibiapaba para trocar ideias e experiências. Estar próximo de um mestre, de um artista de renome, por exemplo, é muito enriquecedor para os alunos e também para o público em geral”, afirma Orlângelo Leal.

Mestres da Cultura no Mi

Nascido em Fortaleza no dia 4 de dezembro de 1946, Mestre Zé Pio é memória viva das tradições da brincadeira Boi. Sua casa é uma escola de ensino dessa e de outras manifestações populares, formando uma legião de brincantes na comunidade. Já o Mestre João Evangelista, que nasceu no dia 6 de maio de 1937, na localidade de Lameirão, município de Crateús-CE, é cantador, violeiro, cordelista, compositor e folheteiro, com mais de 60 anos de atividade. Viveu a infância no sertão cearense, nos municípios de Independência e Pedra Branca, ouvindo cantorias, versos de cordel e repentes de viola e aboio, elementos marcantes na cultura sertaneja e presentes em seu trabalho.

Mestre Totonho, por sua vez, tem 57 anos e é agricultor no distrito de São Félix, aproximadamente 18 km de distância de Mauriti, onde nasceu. Divide seu tempo entre a roça e uma oficina instalada no oitão de sua casa, onde fabrica violinos, contrabaixos, violas e violoncelos. Seus instrumentos se destacam pela qualidade, a partir escolha da madeira, das texturas, das cores dos vernizes e dos moldes, que rapidamente ganhou a confiança de músicos e fornecedores de todo mundo.

José Demétrio de Araújo, o Mestre Cirilo, nasceu no município do Crato, em 13 de agosto de 1953. É trabalhador rural e brincante de folguedos tradicionais, atividades que entraram muito cedo em sua vida. Já participou, com seus grupos, de todos os eventos do Festival Folclórico do Cariri, com mais de 30 edições, e de todas as edições do Encontro de Folclore Elói Teles. É presença certa na tradicional Exposição do Crato, a ExpoCrato, além de já ter levado seus brincantes para o I Festival Internacional de Trovadores e Repentistas, realizado na cidade de Quixadá e Quixeramobim, em 2004.