OFICINAS

Festival MI

A musicalidade dos mestres da cultura

Data: 22 a 27/07
Horário: 14h30 às 17h45
Local: Escola Patronato Tenente Ângelo de Siqueira Passos

Descrição da oficina:

Vivência musical com mestres da cultura diplomados como tesouros vivos da cultura popular do Estado. Nessa oficina teremos contato com canções, ritmos, danças e jogos musicais presentes no cotidiano de comunidades tradicionais, utilizando-se para a co-criação de números com instrumentos diversos. Criação e prática instrumental com pífanos,cantos, sanfona, rabeca, violão  e percussão.

Professor: Fabiano de Cristo (CE)

Mestres: Cacique Pequena (CE), Expedito Caboco (CE) e Ana Maria (CE)

Mini Bio Professor: É graduado em Música – Licenciatura pela Universidade Federal do Cariri (UFCA) e especialista em Cultura Popular, Arte e Educação do Campo, também pela UFCA é percussionista há vinte anos com estudo voltado para a percussão de tradição popular e de grupos de rua. Começou seus estudos com a rabeca em meados dos anos 2000, motivado pelas novas inserções do instrumento na música popular brasileira. A partir daí empreendeu carreira como rabequeiro no grupo Fulô da Aurora e como pesquisador junto aos rabequeiros do Sertão dos Inhamuns, em especial da comunidade Cachoeira do Fogo. Atualmente se dedica ao ensino do instrumento através da utilização de cifras numéricas e repertórios tradicionalmente ligados à música de rabeca no Ceará.

Mini Bio Mestres: 

Mestra Cacique Pequena: Maria de Lourdes da Conceição Alves nasceu aos 25 de Março de 1945, no município de Aquiraz-CE. Filha de Alfredo José Dias e Joana Maria da Conceição. Cacique Pequena é reconhecida como Tesouro Vivo da Cultura, pelo Estado do Ceará, desde 2015, e como Notório Saber em Cultura Popular, pela Universidade Estadual do Ceará, desde 2016. Aos cinco anos de idade participava das Rodas de Toré. Aos dez, trabalhava nas farinhadas e cultivava ervas medicinais. Mais tarde passou a acompanhar o Cacique Odorico nas lutas pelas causas indígenas. Sua história se confunde com os movimentos de resistência dos povos indígenas cearenses. Rompeu, inclusive, com um costume antigo ainda enraizado na cultura de seu povo: a designação só de homens para a função de cacique, sendo, assim, a primeira mulher a assumir a chefia numa etnia indígena brasileira. Foram de sua iniciativa a criação e a fundação da Associação das Mulheres Indígenas Jenipapo Kanindé-AMIJK, instituída para possibilitar a salvaguarda do Patrimônio Cultural Indígena, além de tratar de outras demandas de interesse da comunidade. Revelando a importância da oralidade na cultura indígena, através de seus cantos, Cacique Pequena protagonizou o registro fonográfico de 12 músicas de sua autoria em CD intitulado “Beleza da Vida”, gravado com apoio da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult).

Mestre Expedito Caboco: Expedito Antônio do Nascimento nasceu aos 24 de novembro de 1949, em Carariaçu – CE,  faz parte da família Marques de Sousa, de quem herdou o legado musical. A Banda Cabaçal Santo Expedito foi fundada em 22 de março de 1901 com o bisavô materno que ficou como chefe da Banda durante 40 anos, por volta de 1957  seu tio João Marques de Souza assumiu essa responsabilidade e na década de 1970 a chefia da Banda passou para Expedito Caboco que vem realizando um trabalho de manutenção e divulgação da cultura de maneira intensa, não só em Juazeiro do Norte, mas no Brasil e no exterior. Expedito Caboco foi reconhecido pelo Estado do Ceará como Tesouro Vivo da Cultura, em 2019, tendo como tradição a Banda Cabaçal, que além de tocar todos os instrumentos, o mestre também os fabrica. Banda Cabaçal é um dos vários nomes atribuídos à esses conjuntos musicais tradicionais, característicos da Região Nordeste, encontrada ainda em Minas Gerais e Goiás. Tocam em diversos eventos, mas especialmente em renovações e festejos de padroeiros.

Mestra Ana Maria: Ana Maria da Conceição nasceu aos 27 de julho de 1956, em Tianguá-CE, filha de Norberto Joaquim Rodrigues e Maria do Carmo do Espírito Santo. Ana Maria é reconhecida pelo Estado do Ceará como Tesouro Vivo da Cultura, desde 2008, e pela Universidade Estadual do Ceará como Notório Saber em Cultura Popular, desde 2016.
O drama é uma manifestação popular que mescla músicas e expressões corporais, representando práticas dramáticas das vivências rurais. Ana Maria conheceu os dramas na infância, aos 10 anos de idade. A comunidade de Tucuns, no município de Tauá, ficou famosa por ter em seu acervo de folguedos as encenações dos dramas. No entanto, as ocupações e necessidades da vida, a modernidade que vem avançando nos costumes do povo mais simples fizeram decadente essa expressão do teatro popular, até ficarem adormecidas nas memórias coletivas. A partir do ano de 2000 as políticas públicas voltadas para a Cultura Popular se expandiram, fazendo surgir bons projetos de resgate cultural, cabendo a Ana Maria o importante papel de reunir as pessoas, rebuscar as lembranças e reanimá-las em torno da manifestação. Ela conseguiu revitalizar os grupos de “Dramas Cantados”, sendo hoje a coordenadora dos grupos de dramas de Tucuns, que vêm participando de todos os eventos culturais em Tianguá e em outros municípios da região serrana. O grupo foi contemplado, no ano de 2006, no III Edital Ceará de Incentivo às Artes, na categoria Pesquisa. Em 2007 foi agraciado como o prêmio “Culturas Populares 2007 – Mestre Duda – 100 Anos de Frevo”, do Ministério da Cultura. Em 2008 gravou um CD com a música características dos dramas.

 

FEIRA DO MI
Manhã - Instalação sonora de Eric Barbosa e alunos
PALCO JACKSON DO PANDEIRO - ANFITEATRO ALBERTO NEPOMUCENO
20h - Orquestra Filarmônica Estrelas da Serra (Croatá)
22h - Marcus Caffé - Homenagem a Humberto Teixeira (Fortaleza)
PATAMAR DA IGREJA DA MATRIZ
21h - Fausto Nilo (Fortaleza)

PALCO JACKSON DO PANDEIRO - ANFITEATRO ALBERTO NEPOMUCENO
19h - Roda de Som dos alunos
20h30 - Arquelano
21h30 - Nação Tabajara (Cena Cultural da Ibiapaba) com lançamento do
disco “Plantando Estrelas” do Mestre Quincas da Rabeca

PALCO JACKSON DO PANDEIRO - ANFITEATRO ALBERTO NEPOMUCENO
19h - Roda de Som dos alunos
21h - Maiara Moraes e Quarteto (SP)
THEATRO DOM PEDRO II
19h30 - Exibição de videoclipes (“Acordar com você”, Varanda Mundo.
“Ladrilhar”, Projeto Rivera. “Quando você se for”, Alfazemas”. “Luz de Jah”,
Andread Jó”. “A Cidade”, Victor Carvalhoso. “Fábrica Vida”, Os Bardos.)

PALCO JACKSON DO PANDEIRO - ANFITEATRO ALBERTO NEPOMUCENO
18h - Roda dos Mestres da Cultura com Mestra Cacique Pequena (Aquiraz)
19h - Roda de Som dos alunos
20h30 - Rabecacelllo "Concerto aos três climas"
21h - As Manas (Sobral)
THEATRO DOM PEDRO II
19h30 - Exibição do longa-metragem “Suaçuamussará” com presença do
diretor Henrique Dídimo

THEATRO DOM PEDRO II
19h30 - Exibição de curtas-metragens Exibição dos curtas-metragens
“Borum Krenak”, de Rogério Corrêa, “Xetá”, de Fernando Severo e
“Tupinambá - O Retorno da Terra”, de Daniela Alarcon
20h - Roda de Conversa “Histórias Tabajaras na Ibiapaba” com os
historiadores e memorialistas Daniel Sá, Gilton Barreto, Tereza Mapurunga e
Bosco Gaspar. Mediador: Alênio Alencar
PALCO JACKSON DO PANDEIRO - ANFITEATRO ALBERTO NEPOMUCENO
19h - Roda de Som dos alunos
20h - Lançamento de songbook e show de Tarcísio Sardinha
21h30 - Jackson Racional e os Afrobatuques (PB)

PALCO NAÇÃO TABAJARA - PRAÇA GEN. TIBÚRCIO
19h - Teatro Mamulengo Gratidão - Miguel Mariano (infantil - Pindoguagua e
Tianguá)
20h - Trio Arupemba (música popular do Nordeste - Guaraciaba do Norte)
THEATRO DOM PEDRO II
19h30 - Exibição dos curtas-metragens “Balada do Guarda-Roupa”, de Diego
Akel, “O Homem Que Pintava Músicas”, de Jackson Abacatu, “Áurea”, de
Zeca Ferreira, “Caleidoscópio”, de Natal Portela
PALCO JACKSON DO PANDEIRO - ANFITEATRO ALBERTO NEPOMUCENO
18h - Roda dos Mestres da Cultura com Mestre Expedito Caboco (Juazeiro
do Norte)

20h - Roda dos Professores
21h - Sexteto Mundano (SP)
22h - Caboco Eletrônico (Juazeiro do Norte)

PATAMAR DA IGREJA
16h - Encontro de Bandas de Música da Ibiapaba
PALCO NAÇÃO TABAJARA - PRAÇA GEN. TIBÚRCIO
19h - Pedra Rara (Reggae - Tianguá)
19h40 - Rapper MH e convidados (Hip Hop - Tianguá)
20h30 - Edley (Trip Rock - Ubajara)
21h10 - Os 4 Companheiros (Chorinho - Ibiapina, Viçosa e Sobral)
PALCO JACKSON DO PANDEIRO - ANFITEATRO ALBERTO NEPOMUCENO
19h - Apresentação dos resultado das oficinas
20h30 - Sanfonástica Mulher Lona (BA)
21h30 - Trovador Eletrônico (Sobral)
22h30 - Las Tropicanas (Fortaleza)

ÁTRIO DA IGREJA MATRIZ
10h às 14h - Resultado das oficinas
PALCO NAÇÃO TABAJARA - PRAÇA GEN. TIBÚRCIO
18h20 - Teatro Mamulengo Gratidão - Miguel Mariano (infantil - Pindoguagua
e Tianguá)
19h - Victor Carvalhoso (psicodélico) e Bruna Sánchez (dança
contemporânea - Tianguá)
19h20 - Inês Mapurunga (Fortaleza), Dramistas Tucuns (Tianguá),
Dramistas Viçosa (Viçosa do Ceará) e Arupemba (Guaraciaba do Norte)
(cultura popular)
20h20 - Os Bardos (rock progressivo nordestino - Quatiguaba, Viçosa do
Ceará, Tianguá e Ubajara)
21h - Cia. Bruna Sánchez (dança contemporânea - Tianguá)
21h20 - Grupo dos Cucas de Fortaleza com show “Vozes”
PALCO JACKSON DO PANDEIRO - ANFITEATRO ALBERTO NEPOMUCENO
18h - Roda dos Mestres da Cultura com Mestra Ana Maria (Tianguá) e grupo
com lançamento do disco “Dramas, benditos e incelenças do povo do
Tucuns”
20h - Apresentação dos resultado das oficinas
21h - Distinto Duo (Crato)
22h - Felipe Cordeiro (PA)